Categoria: material esportivo

Testamos o Polar M400

Durante os últimos dois meses testamos o Polar M400, um Monitor de Freqüência Cardíaca – MFC com GPS que permite atualização do seu firmware via porta USB.

A Polar Electro é a maior referência em MFC e foi uma das últimas a entrar no mercado de training smartwatches, liderado pela Garmin.

Na caixa

2015-08-17 11.21.13

Ao receber o Polar M400 do nosso parceiro, a Marbravo Esporte, abrimos a caixa e encontramos o MFC GPS M400, um transmissor H7 com tecnologia Bluethooth Smart, um cabo USB e um manual para início rápido.

Toda a personalização do Polar M400 é feita através do ambiente Polar Web Flow após criar seu perfil, como acontece com os demais fabricantes.

2015-08-01 12.22.56-2

Além do perfil, é possível programar os treinos propostos pelo seu treinador nas planilhas de treino, seja pela modalidade, seja pela FC, seja pelo pace e distâncias, dando um fim as colas escritas na mão ou no ante-braço.

Uma vez programado o treino, é possível salvá-lo como favorito e chamá-lo no Polar M400 toda a vez que tiver que realizá-lo.

Características

Com uma capacidade de memória de 30 treinos com GPS e FC e série de funções já conhecidas nos MFCs Polar, com limite de Fc programáveis, FC máxima baseada na idade ou no Polar Fitness Test, cálculo de gasto calórico, zonas de FC e de Velocidade, o M400 ainda agrega funções de GPS através do A-GPS, orientando de volta ao início pelo percurso mais rápido, estima o tempo final, determina o running index baseado nos dados de FC e de velocidade medidos durante a corrida, fornecendo informações diárias acerca do seu nível de desempenho.

2015-08-12 08.09.09

Permite, ainda, a exportação dos dados do seu treino para que possa carregá-los em Apps como o Strava, ou enviá-los diretamente para ser analisado pelo seu treinador.

Com certeza o Polar M400 é um excelente acessório para auxiliá-lo em seus treinos.

Bons treinos e divirta-se, sempre!

 

Anúncios

Corrida: tênis, pisada e escolhas

A corrida é um esporte muito acessível e fácil de se praticar, mas, apesar de simples, requer algumas providências que devem ser tomadas antes de iniciar sua prática, como todo e qualquer exercício físico.

Mas você sabe como pisa enquanto corre? Existem três tipos de pisada: a pronada, a neutra e a supinada… Para saber como é a sua é necessário realizar uma teste chamado baropodometria.

A baropodometria ou comumente “Teste da Pisada” é um recurso de alta tecnologia usado na avaliação postural de atletas e pessoas comuns, praticantes de esportes ou não que tem como objetivo identificar as alterações adotadas pelo corpo através do contato dos pés que geram patologias de diferentes tipos, ortopédica, traumatológica e/ou posturais.

Com este exame pode-se avaliar a distribuição do peso corporal em pontos distintos dos pés na posição estática e durante a caminhada.

Através de uma criteriosa avaliação postural, osteopática e baropodométrica, consegue-se identificar alterações no tipo de pisada e na distribuição do apoio plantar que podem resultar em queixas de dor e processos crônicos que vão de inflamações articulares, tendinopatias e até hérnias de disco. Voltando a sua pisada.

A pisada pronada ou para ‘dentro’, acontece quando seu pé, assim que toca o chão, apóia-se no seu lado mais proximal (interno) e contorciona para dentro, utilizando o hálux – ‘dedão do pé’, para ganhar impulso.

Já a pisada neutra é quando seu pé toca o chão apoiando o lado distal (externo) e movendo-se levemente para dentro, seguindo em linha reta até a elevação do hálux, no movimento final de impulsão.

Finalmente, na pisada supinada ou para ‘fora’, seu pé toca o chão no lado distal do calcanhar e continua o movimento usando o lado mais externo, ganhando impulso no quinto pododáctilo, vulgo ‘dedinho’.

Embora existam vários modelos de tênis de corrida indicados para o nível de flexibilidade do seu arco plantar, cada tipo de pisada, de treino ou de prova, antes de escolher o seu permita-me esclarecer o assunto: o pé humano é uma perfeita máquina para correr.

Após a década de 70, com o surgimento dos novos calçados de corrida com amortecimento e estabilização, deixamos de exercitá-lo da maneira adqueada o que acabou por ocasionar a perda de sua flexibilidade e da força de sua musculatura.

Isso nos leva a refletir se seria mais correto adquirir um par de tênis de acordo com a sua pisada, ou se seria melhor fortalecer a musculatura intrínseca e extrínseca do seu pé, dando maior atenção a técnica da sua corrida e adquirindo um modelo neutro, de baixo amortecimento.

Tendo alguma dúvida, entre em contato conosco.

Bons treinos e divirta-se!